Mercados populares, flujos de mercancias e ilegalismos en el município de Posadas, Argentina.

Eric Cardin (UNIOESTE, Paraná, Brasil)

A região que abrange a fronteira da Argentina com o Paraguai é marcada por um intenso fluxo de mercadorias e de trabalhadores, visualizado em uma relação histórica de interdependência entre os municípios de Posadas/Argentina e Encarnación/Paraguai.

No entanto, a direção e a intensidade dos fluxos são determinadas por um conjunto de variáveis que fomentam diferentes dinâmicas ao longo dos anos. Investimentos em infraestrutura, variações nas taxas cambiais, mudanças nas políticas de fiscalização e tributárias, além das tentativas de disciplinarização dos trabalhadores e dos mercados, correspondem a algumas das mais explícitas. Neste contexto, o objetivo deste artigo é analisar as relações entre as tentativas de controle da comercialização de mercadorias transportada pelos paseros e paseras por meio de intervenções da municipalidade nos mercados populares e as práticas dos trabalhadores, explorando as lacunas existentes entre aquilo que é normatizado e aquilo que é executado pelos diferentes agentes envolvidos. Para tanto, foram realizadas observações no Mercado “La Placita del Puente” e no Mercado Modelo, além de entrevistas com administradores e trabalhadores. Os resultados obtidos demonstram a existência de tensões entre os vendedores, os paseros e os agentes administrativos, compostas por disputas na manutenção e no desenvolvimento de estratégias que possibilitem as práticas de trabalho necessárias e efetivadas, mas também uma flexibilização na aplicação das leis, que permite a visualização de um espaço onde diferentes agentes se articulam, expondo negociações e resistências.

 

Deja un comentario